Blog

Seu comércio usa a estratégia de preço corretamente?

Comércio de sucesso é aquele que consegue adquirir o produto por um valor e vendê-lo pelo dobro do preço, certo? Errado! Isso porque não é a precificação do produto e um grande volume de vendas que faz um negócio crescer. Prospera o comerciante que define uma boa estratégia de preço com base em indicadores de venda e análise financeira da companhia e dos movimentos do mercado.

Ficou difícil? Calma. Neste post vamos te mostrar que a ação pode ser mais simples do que você imagina. 

Como calcular o preço de um produto

O preço de um produto é mais do que um número. Trata-se de um valor que agrega resultado para a empresa, considerando o quanto os clientes estão dispostos a pagar, os benefícios que o item gerará para a vida das pessoas, o preço praticado pela concorrência e a estratégia mais adequada para o momento do mercado e da companhia.

Calcular o preço de um produto não é uma equação difícil, mas exige sensibilidade do profissional, além de profundo conhecimento de alguns números da companhia, como: margem de lucro; faturamento, incluindo o valor necessário de venda mensal para que a empresa não tenha prejuízo; custos fixos, como salário dos funcionários, aluguel e contas de consumo; e custos variáveis, relacionados à aquisição e possível manutenção do produto em estoque que será revendido.

Na prática, para saber se um produto possui um preço adequado ou não você deve fazer a seguinte equação:

Valor unitário do produto x expectativa de volume de venda – custo variável – custo fixo = lucro

Quatro tipos de estratégias de preço

É impossível traçar uma boa estratégia de preço sem ter uma gestão financeira de qualidade dentro da companhia. Agora, se você já tem todos os números da empresa em mãos, já é hora de conhecer algumas formas de elevar os indicadores de vendas, de faturamento ou de lucro.

1 – Manutenção de preço

O que é: Como o nome sugere, é a prática de manter o preço do produto, ainda que os custos e despesas subam e mesmo que sua margem de lucro diminua

Objetivo: Minimizar prejuízos mantendo o volume de vendas quando há necessidade de liquidar um item do estoque, o produto vai sair de linha ou há mão de obra ociosa que precisa ser paga antes de se optar pelo desligamento de profissionais.

2 – Maximização de lucro

O que é: Tabelar um produto ou serviço com o valor máximo aceitável pelo mercado

Objetivo: Ter o máximo de lucro em vendas cujos clientes demoram anos para fazer uma nova aquisição de produto ou serviço.

3 – Maximização de faturamento

O que é: Prática muito utilizada por estabelecimentos que promovem vendas no atacado, essa estratégia consiste em reduzir a margem de lucro e focar esforços para vender o máximo possível. O grande desafio, neste caso, está em comprar em grandes quantidades e ter custos fixos e variáveis sob rígido controle. Do contrário, um faturamento negativo pode surgir em um piscar de olhos.

Objetivo: Fazer o negócio crescer com base no volume de vendas

4 – Maximização de mercado

O que é: Se valer do lançamento de produtos ou serviços muito exclusivos para atrair a atenção de clientes que valorizam novidades, estão dispostos a pagar um preço alto por elas e retornaram quando uma nova versão do item chegar ao mercado.

Objetivo: Lucrar o máximo possível a cada nova versão do produto ou serviço

Não deixe o cliente em dúvida sobre o preço do produto

Tão ruim quanto não ter uma estratégia de preço é traçá-la e perder o timing de comunicação da oferta ao consumidor pela falta de comunicação visual adequada no PDV. O cartaz de preço precisa existir e estar posicionado no momento e local estratégicos. Para resolver este problema, marcas de diferentes portes já aderiram ao cartazista eletrônico. Com esse programa de criar cartaz as lojas não têm mais a necessidade de centralizar a produção de cartazes em um único profissional. Assim, ganha-se em autonomia, agilidade, eficiência e economia.

Contato